terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

EDUCAÇÃO INCLUSIVA E ESPECIAL

( CLICK 2X FOTO AMPLIAR )

EDUCAÇÃO INCLUSIVA E ESPECIAL

O que sabemos sobre a leitura da pessoa com deficiência visual?
 

Quais os desafios da Educação inclusiva?

Estamos próximo ao início dos encontros da catequese. Na comunidade que participo vai iniciar em 1 de março de 2015, domingo. Fiquei pensando, quantos jovens, crianças e adultos deficientes visuais ou outras pessoas com outras deficiências: cadeirantes, síndrome de Down, ..., vão estar inscritas para a catequese?

A algum tempo venho escrevendo sobre a “educação inclusiva” devido o intercâmbio com a Fundação Dorina Nowill, onde recebemos livros em braille, Cd audível e outros. Sendo estes materiais um facilitador e compartilhamento na motivação a leitura e educação especial.


                   ( CLICK 2X FOTO AMPLIAR )

Chamo a atenção de todos quanto a consideração a diversidade de aprendizes, posso dizer convite a/o catequizandos especiais e seu direito à equidade. Trata-se de equiparar oportunidades, garantindo-se a todos - inclusive às pessoas ( crianças, jovens, adultos ) em situação de deficiência e aos de altas habilidades/superdotados, o direito de aprender, a ser e a conviver até mesmo nas comunidades.

Com o passar dos anos organizando livros em braille na biblioteca padre José Calvi, me reciclando buscando informações, fazendo cursos, pesquisando, falando com gente que entende, cheguei a uma conclusão:

A PESSOA É UM INDIVÍDUO. 

ELA NÃO É A DEFICIÊNCIA.
 

TODOS PODEMOS FAZER A DIFERENÇA NO PROCESSO DE INCLUSÃO.

Vai abaixo algumas das informações que encontrei!!!

DEFICIÊNCIA NÃO É DOENÇA
Ter uma deficiência não significa ter uma doença. Doença é um problema de saúde. Pessoas com deficiência, como qualquer um, eventualmente adoecem, mas na maior parte do tempo estão saudáveis.

Dizer que uma pessoa é especial ou tem necessidades especiais virou um falso eufemismo para “compensar” a deficiência. Mais adequado seria dizer necessidades específicas. No mundo não existem “os normais” e “os anormais”. Todos são seres humanos de igual valor, com características diversas.

DIREITO CONSTITUCIONAL À INCLUSÃO 

E CIDADANIA
A Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência foi aprovada no Brasil em 2008 como norma constitucional. Ela diz que cabe ao Estado e a sociedade buscar formas de garantir os direitos de todas as pessoas com deficiência em igualdade de condições com os demais.

A Convenção é uma importante ferramenta de acesso à cidadania e precisa ser mais difundida entre as próprias pessoas com deficiência, juristas e a população em geral. Referir-se de forma adequada a pessoas ou grupo de pessoas é importante para enfrentar preconceitos, estereótipos e promover igualdade.

QUANTAS PESSOAS DEFICIÊNTES MORAM PRÓXIMO A COMUNIDADE QUE PARTICIPO? 


E PRÓXIMO A SUA COMUNIDADE, 
JÁ PENSOU NISTO?

Fica ai um alerta a juventude, lideranças e assessores, para incentivar o convite em suas comunidades para o engajamento de pessoas com deficiência em nossas pastorais. No meu caso estou escolhendo as pessoas com deficiência visual por ter no momento um material a disposição para compartilhar como foi citado acima.



Reutilize este material e compartilhe estas informações com outras pessoas para contribuir para a construção de uma sociedade mais justa e inclusiva.

Benjamim Custódio da Silva
Catequista e Assessor da Pastoral da Juventude - PJ
Paróquia Nossa Senhora de Fátima
Vila Sabrina – SP


BLOG PJV – http://www.pjvoluntario.blogspot.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário